14/02/2011

Ordem do Carmo Cobra Estacionamento

Há cerca de três semanas começaram a aparecer os primeiros parquímetros no Largo do Carmo, uma das poucas zonas na Baixa de Faro onde ainda não se paga para estacionar.

Mas, ao contrário dos restantes parquímetros espalhados pela Baixa da cidade (geridos pela autarquia e a empresa Emparque), o CM apurou que a exploração está a ser promovida pela Ordem Terceira da Nossa Senhora do Carmo, proprietária do terreno.
Contactado pelo CM, o porta--voz da diocese do Algarve, Luís Galante, confirmou que se trata mesmo de uma iniciativa da Ordem.

"O parque nas traseiras da Igreja do Carmo, que também é um parqueamento nosso, já é pago e, tal como foi feito antes, também queremos explorar este espaço, que é um terreno da Ordem", garantiu.
O "espaço" referido por Luís Galante é a zona circundante à Igreja do Carmo, até à lateral do bar e restaurante Seu Café.

A indignação dos moradores e de quem trabalha nas empresas dessa zona não se fez esperar e, numa semana, já corria um abaixo-assinado rubricado por 466 pessoas. O documento já foi entregue na Câmara Municipal de Faro e na Freguesia de São Pedro, organismo que já antes tinha tomado uma posição contra os parquímetros e apresentado à Comissão Municipal de Trânsito (ver caixa em cima).
Um dos comerciantes da zona, que preferiu não se identificar porque tem "clientes da paróquia", garantiu que a entrada em funcionamento dos parquímetros "irá matar comércio e estrangular ainda mais o estacionamento". 

"A IGREJA DEVIA AJUDAR NUMA ALTURA DIFÍCIL"

Uma das principais vozes contra a exploração do estacionamento é a de Vítor Lourenço, presidente da Junta de Freguesia de São Pedro, que entende que a posição da instituição não é a mais correcta. "Sempre pensei que o papel da Igreja fosse o de ajudar as pessoas e não complicar ainda mais a vida numa altura tão difícil economicamente", disse ao CM, deixando ainda críticas à câmara: "Já apresentei a minha posição contra a situação e disseram-me que o assunto ia ser avaliado. Mas o que não entendo é que se a igreja é dona do terreno, porque é que são as empresas da câmara a limpar as ruas e os passeios?"

CÂMARA ANALISA SITUAÇÃO

Apesar de os parquímetros já estarem montados, o que é certo é que já passaram três semanas e ainda não foram activados.
A única declaração da Câmara de Faro acerca deste assunto é que a "situação está a ser analisada", não especificando quando o assunto estará resolvido.

O CM sabe que poderão estar em cima da mesa algumas questões acerca da legalidade da exploração por parte da Ordem e o município terá uma palavra a dizer em relação ao tarifário praticado.
"Asseguro que a única razão porque os parquímetros ainda não estão a funcionar é apenas a nível técnico", afirma Luís Galante, porta-voz da diocese do Algarve. E realça: "Não iríamos contratar uma empresa para meter os parquímetros se não estivesse tudo como manda a lei".

"É uma negociação feita há anos e já vem, pelo menos, do executivo anterior ao que está actualmente na câmara. Já está tudo protocolado, licenciado e negociado", assegurou o porta-voz da diocese.

2 comentários:

Anónimo disse...

Ha uns anos atras tentaram fazer o mesmo,nao conseguiram, desta vez espero que tambem nao, se nao e desta vez vez nao vou ficar parado.....sim é uma ameaça ao bom funcionamento dos parquimetros.......Á noite muita coisa pode acontecer..........

Rogério disse...

É bom que o anónimo que não tem coagem de dar a cara ou melhor o nome, saiba que até os cobardes são descobertos.
Aproveito a oportunidade para informar o «autarca» da junta que caso não saiba, e parece desconhecer a história, mas até a estrada e os passeios são pertença da Ordem do Carmo, mas que os ditos republicanos e pseudo-democratas tiraram aos seus legítimos proprietários.