24/10/2010

“Até dá para fazer sessões de filmes clássicos”

Daqui a nada, a morada do Cineclube de Faro será Pta Francisco Brito do Vale (Xixo), loja A 8000 Faro. A actual directora, Anabela Moutinho, é uma mulher feliz, apesar do sufoco financeiro.Uma sede cujo tecto não fosse “uma ameaça em cima da cabeça” era aspiração de décadas. 

Não foi uma, nem duas, mas três, as vezes que Anabela disse ao Observatório do Algarve “estamos muito contentes”, quando lhe foi solicitado que confirmasse a nova morada da sede do Cine Clube de Faro, atribuída pela Câmara Municipal de Faro.
“Já foi decidido pelo executivo camarário e aprovado pela Assembleia Municipal” explica ainda a dirigente associativa, que prevê iniciar o próximo ano já nas novas instalações.

"Estamos Muito contentes"-I
O primeiro “estamos muito contentes” diz respeito ao facto de poderem deixar de funcionar na velha sede, na Rua 1.º de Dezembro, na baixa da cidade, numa casa que, além de antiga e pouco conservada, foi danificada por um incêndio que devastou o edifício ao lado, posteriormente recuperado por uma cadeia de vestuário, sorte que não teve o prédio do lado.

“Continuaremos a ser inquilinos daquele espaço, onde vai ficar o arquivo morto, para não ficarmos, nas novas instalações, de imediato afogados em papelada que se acumulou ao longo de 56 anos de existência do cineclube”, acrescenta a presidente da associação cinéfila.


Estamos muito contentes - II
O segundo “estamos muito contentes” surge para falar das potencialidades do novo espaço, onde pela primeira vez “vai haver uma sala para as assembleias gerais dos sócios” local que depois pode ser utilizado para sessões de culto, de filmes clássicos.

"Temos um arquivo fantástico, do qual ninguém estava a usufruir, o que agora será possível, em sessões de filmes classicos ou de culto", afirma a responsável do cineclube.
Anabela Moutinho já sonha com workshops e formação, agora que há cadeiras e mesas, ainda por cima novas, para o efeito.

Poder “ter postos de visionamento” para a vasta cinemateca que o clube possui, mais uma biblioteca munida de comunicações em rede e Internet,o que possibilita uma área calma de estudo e investigação, são outras das actividades que a nova sede proporciona.

"Estamos muito contentes"- III
E como não há duas sem três, lá veio o terceiro “estamos muito contentes”. Tanto as anteriores direcções como a actual ”massacraram os autarcas durante uma data de mandatos para obter uma sede condigna e o reconhecimento” de uma associação cinéfila com pergaminhos (foi uma das primeiras a ser fundada no país) e que cumpre um papel relevante na vida cultural da cidade.

“Tenho de reconhecer o mérito do presidente da câmara (Macário Correia) que resolveu a questão”, reconhece Anabela Moutinho.

 Contudo, permanecem as dificuldades económicas que levaram recentemente a direcção do cine clube a tocar a sineta de alarme em Setembro, para um eventual fecho da actividade, devido ao corte das verbas de apoio por parte da autarquia, que este ano foram diminuídas para 5.000 euros, a pagar em duas tranches de 2.500 euros, estando a última mesmo assim condicionada.

Na altura, a direcção do cineclube emitiu um comunicado em que afirmava: “Esperamos, sinceramente esperamos, que consigamos todos em conjunto ultrapassar a mais grave situação financeira que o Cineclube de Faro atravessa desde a sua fundação, pois de contrário não nos restará senão fechar as portas de uma das mais ilustres associações da Cidade de Faro e de um dos mais nobres e antigos cineclubes portugueses, em actividade ininterrupta desde 1956”.

Para os mais supersticiosos, terão sido provavelmente os ‘bons ofícios’ do farense homenageado com o nome naquela praceta. O Xixo foi um benemérito farense (1883-1963).
Porém, Anabela Moutinho fala pragmaticamente “no interesse do executivo e do seu presidente em resolver a questão da sede, desta e doutras associações”.

Tendo como vizinhança a Universidade da Terceira Idade, o cineclube passará a chamar-se “Centro Jovem - Cineclube de Faro”, terá um espaço dedicado aos mais jovens, porque afinal vai ocupar umas instalações a isso dedicadas e se encontravam encerradas. Agora, as portas vão abrir-se e as fitas continuarão a rodar, como acontece há 54 anos.

"observatório do Algarve"

1 comentário:

Carlos Garcia disse...

Eu estaria ainda mais contente se tivessem contratado um designer a sério para fazer o logótipo. Aquilo é feio. Mesmo feio. Mas ainda bem que já há espaço para bons filmes em Faro. Feio ou não feio, já era tempo.