03/07/2010

"Sim à FNAC em Faro" Por José Apolinário

Faro tem agora uma oportunidade em duas de ajudar a FNAC a avançar com uma loja na cidade, a segunda loja FNAC do Algarve. Para atingir este objectivo é necessário avançar  com o Plano  de Pormenor do Sítio da Má Vontade – Pontes de Marchil, permitindo uma extensão moderada do Forum Algarve.

Efectivamente, alerto, o tempo já está em contagem decrescente. O Plano de Pormenor, que podia ter avançado no final de 2009 – assim seria caso tivéssemos ganho as eleições -, leva já 6 meses a marcar passo, aguardando para saber se apenas com o objectivo de ampliar mais a área urbanizável  e com que usos previstos.

Como Presidente da Câmara tentei influenciar a FNAC a instalar-se na Baixa de Faro e no Mercado Municipal.

Ao que me parece a empresa quer uma localização mais ligada a uma estrutura comercial como o Forum Algarve. Com a perspectiva do IKEA avançar, a curto prazo, com um novo centro comercial no Nó de Loulé-Faro, a decisão política que urge tomar é a do Plano de Pormenor que reforça o actual Forum, face ao futuro IKEA.

O que está em causa não é a Baixa, não é o centro da cidade. Na Baixa de Faro, o efeito Mercado Municipal, a nossa proposta para Atrium e ex-cinema Santo António e a doca exterior são as decisões que importa tomar.

A estratégia que aqui deixamos é clara e fundamental.
Afinal estamos a defender a própria centralidade de Faro.
"o Algarve"

1 comentário:

... disse...

Faro não necessita de mais centros comerciais. Precisa sim, e urgentemente, de revitalizar a baixa, o centro, de tirar pessoas ao forum algarve e trazê-las para o antigo centro. A FNAC seria o ideal para o fazer mas não basta. É preciso que os autarcas compreendam que a criação de mais JUmbos, Pingos-Doces e afins nas extremidades da cidade irão arruinar completamente essa possibilidade pois irão dispersar ainda mais a população, tanto a Farense como a que vem dos arredores a Faro com o propósito de passear e fazer compras. Olhão terá também o seu "Forum". Apontava para o exemplo da cidade de Braga que se organizou à volta do centro e colocou as lojas onde as lojas devem estar - no centro da cidade. Mas também conseguiram os dinheiros do Belmiro e do Jerónimo, fizeram e permitiram que o Jumbo, o Continente e o Pingo-Doce se instalassem nas imediações mas não construiram centros comerciais à volta deles, remetendo a população que quer passear e ver lojas para um sítio único, a baixa da cidade. Este sim, parece-me, de todos, o melhor exemplo. Um exemplo que a cÂmara de Faro deveria seguir. Mas eu percebo que os cifrões falam mais alto. E entretanto, à falta de melhor expressão, é a merda que se vê.